10 musicas nacionais que são versão brasileira de 10 musicas internacionais (Parte 1)

10295283_400114730173501_1325918350401540592_o
Estava no trabalho e do nada começou tocar uma música que gosto na rádio. Ouvimos uma dessas rádios de música de elevador, então foi uma surpresa saber que Arisa estava nos falantes. Comentei sobre a música, como era, de quem era e do nada me sai uma voz (linda, por sinal) em português.

As pessoas disseram que era tema de uma novela atual e a Tiê que cantava. Isso me lembrou algumas músicas que existem versões nacionais, mas que as internacionais não são tão conhecidas como deveriam.

Esse insight me motivou a escrever, então, a lista das 10 músicas nacionais que são versão brasileira de 10 musicas internacionais (Parte 1), ou reduzindo o título: Versão Brasileira.

Nada mais justo que começar com a canção que inicia o texto. Estou falando de A noite, da Tiê, que no original se chama La notte e é interpretada pela italiana Arisa, que tem uma carreira relativamente nova, surgiu no Festival de Sanremo e segue uma linha pop, lembrando canções do início de carreira da Laura Pausini.

La Notte é do álbum Amami, de 2012, e traz a mesma linha vocal e arranjos, além da letra alterada. Nela encontramos os versos:

“E quando chega a noite e fico sozinha comigo / A cabeça sai e viaja em busca dos seus porquês / Nem vencedores nem perdedores saem derrotados na metade / A vida pode nos distanciar o amor continuará”

 O mesmo refrão na canção da Tiê, em nossa versão brasileira ficou:

“E quando chega a noite e eu não consigo dormir / Meu coração acelera e eu sozinha aqui / Eu mudo o lado da cama, eu ligo a televisão / Olhos nos olhos no espelho e o telefone na mão”

Numa pesquisa rápida, descobri que a versão nacional faz parte da trilha sonora do folhetim I Love Paraisópolis, da Rede Globo.

Pegando a máquina do tempo e indo lá para os anos 80, vamos chegar na banda Nenhum de Nós, que após um estrondoso sucesso com Camila, Camila, teve O Astronauta de Mármore explodindo em todas as rádios. Um sucesso ainda maior que sua estréia. Muita gente achava que era uma autoria da banda (e até hoje tem gente que não sabe que é versão) e não se dava conta que o sucesso de 1989 era uma versão de uma atinga canção de um álbum de 1972, o famoso The Rise and Fall Of Ziggy Stardust and The Spiders From Mars, de David Bowie, e se chamava Spaceman.

Um fato curioso é que a música ficou tão conhecida no Brasil, que segundo Thedy Correa (vocalista da banda Nenhum de Nós) em seu primeiro show no Brasil (1990) David Bowie disse “Agora vou tocar uma canção que eu sei que todos podem cantar só que em português!”. Vale ressaltar que a versão em português foi transcrita para o inglês, enviada para a Inglaterra e teve o aval do próprio Bowie para a gravação.

Diversas pessoas dizem que a música é um fiasco, mas ela foi importante para mim. Através dela, fui conhecer quem era o cara da original e gosto de Nenhum de Nós e David Bowie até hoje.

Starman tem o refrão:

“Há um homem das estrelas esperando no céu / Ele gostaria de vir e encontrar-nos / Mas ele pensa que explodirá nossas mentes / Há um homem das estrelas esperando no céu / Ele disse para não explodirmos / Porque ele sabe que tudo vale a pena / Ele disse-me / Deixem as crianças perderem o controle / Deixem as crianças aproveitarem / Deixem todas as crianças tocarem (boogie)”

Já a versão de O Astronauta de Mármore é:

“Sempre estar lá / E ver ele voltar / Não era mais o mesmo / Mas estava em seu lugar / Sempre estar lá / E ver ele voltar / O tolo teme a noite / Como a noite / Vai temer o fogo / Vou chorar sem medo / Vou lembrar do tempo / De onde eu via o mundo azul”

Pegando um avião para Minas e chegando já no ano de 1993, encontramos o Skank com seu álbum de estréia e dentre as 10 canções da bolacha encontramos um hit de Bob Dylan escondidinho ali.

Falamos de Tanto, uma belíssima composição que segue os arpejos de I Want You. Na época a canção não foi muito tocada, nem chegou ser um grande sucesso. Até 2001, quando foi incluída no MTV ao vivo – Skank.

Sua versão original foi lançada por Bob Dylan em 1965 como B-side do single Just Like Tom Thumb’s Blues e posteriormente em 1966 no Blonde on Blonde.

Se as duas versões tem um pecado em comum, é o refrão. Embora marcante, assobiável e feito para colar mesmo, não refletem o conteúdo linguístico e temático das canções. Se Dylan chega com Te quero, te quero / Te quero tanto / Querida, eu te quero, nossos compatriotas tem É tanto, é tanto / Se ao menos você soubesse / Te quero tanto.

Recomendo a leitura completa dessas duas músicas, tanto a tradução original quanto a versão nacional. São muito bonitas.

Bom, já que estamos em Minas, vamos para Brasilia ter um papo com os candangos da banda Raimundo, ainda em sua formação clássica, que tinha Rodolfo, Fred, Digão e Canisso. Em 1997 eles lançavam seu terceiro álbum, o Lapadas do Povo, que além do cover de Oliver’s Army, de Elvis Costello, tem a famigerada versão de uma música lançada 20 anos antes. Falamos de Pequena Raimunda, a versão esculachada de Ramona, da banda Ramones, lançada originalmente no clássico álbum Rocket To Russia de 1977.

Não é segredo que Raimundos era uma banda cover de Ramones e tem diversas versões nunca lançadas de músicas dos 4 garotos de NY, mas eles resolveram aproveitar e colocar essa versão, que até hoje é executada nas rádios nacionais e ainda inseriram a introdução de Surfin’ Bird com o mesmo tempo de espera do disco original. Fantástico! Particularmente não gostei da letra alterada, mas vindo de Raimundos, o escracho seria garantido.

Na versão americana os versos são:

Doce pequena ramona / Ela sempre quer se juntar a nós / Doce pequena ramona / Acho que tentarei telefonar para ela / Eu a deixei entrar se você quer saber o por que / Pois ela é uma espiã do FBI / Escrevi uma carta para ela e comecei a chorar / E então eu sabia que eu queria morrer / Oooh, pequena Ramona

A versão de Brasilia saiu como:

Shit, shit pequena Raimunda / Bunda de sonho a cara é um pesadelo / Shit, shit pequena Raimunda / Parece até a namorada do Telo / Quando eu a vejo eu vou correndo pro bar / Encher a cara e conseguir encarar / Ela de 4 fica maravilhosa / Essa bundinha ela vai ter que virar / Uuuhh a pequena Raimunda

Fechando a primeira parte dessa lista, vou dar uma invertida nos papéis e falar de Feelings, sucesso mundial da banda The Offspring e que foi lançada em 1998 no premiado álbum Americana. Feelings não é uma musica de autoria da banda, como muitos pensam, mas sim uma versão de um clássico de 1973 (25 anos antes), lançado como compacto simples e posteriormente foi título do álbum de estréia de Morris Albert em 1975.

PÁRA TUDO!!! Não era uma versão nacional? Já que era para inverter, o que um cantor francês tá fazendo aqui? Sim, seria francês, se não se chamasse Maurício Alberto Kaisermann, um cara que teve a sorte de compor a musica que fez ele ganhar a vida, que fatura em direitos autorais como cantores internacionais e ainda vive. Feelings foi acusada de plágio e em 1988 foi configurada como plágio da música Pour Toi, de 1956, da cantora Line Renaud. Em sua defesa, Morris Albert disse que ela foi composta para um amor platônico da época.

Sobre as duas versões em questão, The Offspring mudou todos os “loves” por “hates”, o que gerou um certo hate (desculpem o trocadalho do carilho) de Morris Albert, que mandou um processo básico para eles, mas como ele também recebeu processo…

Enfim, falar de Feelings daria umas três postagens, por isso vamos aos versos:

Enquanto nosso compadre cantava: Sentimentos, Oh, sentimentos / Queria te sentir novamente em meus braços / Sentimentos / Me sinto como se nunca te perdi / E também me sinto como se nunca te terei novamente em meu coração / Sentimentos / Que terei por toda minha vida / Eu queria nunca / Ter  te conhecido, garota / Você nunca mais voltará 

os americanos soltaram pérolas como: Sentimentos… / Oh sentimentos / Oh, sentimentos / De ódio na minha cabeça / Sentimentos / Sentimentos como eu nunca gostei de você / Sentimentos como eu quero te matar / Vivem no meu coração / Sentimentos / Sentimentos como eu quero esquecer você / Sentimentos como eu vou deixar / Fora da minha vida

E como de costume, seguem os vídeos das versões e na próxima semana voltamos com as outras 05 versões nacionais. Enjoy!

TIÊ: A Noite: https://www.youtube.com/watch?v=1Ngn3fZIK2E

ARISA: La Notte: https://www.youtube.com/watch?v=PWu71JMwGWE

NENHUM DE NÓS: O Astronauta de Mármore: https://www.youtube.com/watch?v=ZmhSbgs5MCw

DAVID BOWIE: Starman: https://www.youtube.com/watch?v=vbLsy9-RUi4

SKANK: Tanto: https://www.youtube.com/watch?v=EehDzJ-Foqk

BOB DYLAN: I Want You: https://www.youtube.com/watch?v=xzA1KDxKXZw

RAIMUNDOS: Pequena Raimunda: https://www.youtube.com/watch?v=UtxC4rc2I_A&list=RDUtxC4rc2I_A&index=1

RAMONES: Ramona: https://www.youtube.com/watch?v=MM0MUcc5OKE

MORRIS ALBERT: Feelings: https://www.youtube.com/watch?v=wU0Pp2n6ooE

THE OFFSPRING: Feelings: https://www.youtube.com/watch?v=XnhoIf8dDVE

LINE RENAUD: Por Toi: https://www.youtube.com/watch?v=Rh0Q1CX9tkY

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s